10.8.09

restaurante russo

Em junho passei uns dias na Alemanha, fui ver minha netinha, matar saudades de minha filha, conhecer a familia do meu genro e, naturalmente, passear um pouco também, coisa que adoro!
Depois que voltei quase não tive tempo de contar da viagem porque estava acabando a reforma em casa, os pedreiros ainda estavam por aqui, depois no mes de julho recebemos muitas visitas, o que me deixou muito contente.
Agora, a poeira baixando, espero que sobre mais tempo para eu blogar e contar devagar um pouco do que vi na Alemanha. Viajar, ver novos lugares, habitos e costumes, além de conhecer gente, é um grande prazer e enriquece a vida... "o conhecimento é o barco que nos atravessa o rio da vida", li essa frase em algum lugar, talvez não seja exatamente assim, mas a idéia é essa, o conhecimento nos dá estrutura para viver.
Os pais do meu genro, Ulli e Günther, foram muito atenciosos, me receberam muitissimo bem e me mostraram um pouco da vida e alguns lugares da Alemanha. Minha filha mora em Cottbus, uma hora de carro a sudoeste de Berlin, uma cidade tranquila onde quase não vai turista, e eu, claro, saia na rua fazendo meus clicks, algumas pessoas estranhavam, mas registrei belas imagens que aos poucos vou colocar aqui contando histórias da minha viagem.



Num domingo fomos até Görlitz, cidade que metade pertence à Alemanha e a outra metade é da Polônia. A familia Herzog é do lado da antiga Alemanha Oriental, os pais do meu genro estudaram em Moscou, ele engenharia e ela aquitetura. Em Görlitz tem o 'Rasputin', restaurante russo, onde provei um refrigerante de pão, é a "coca-cola" dos tempos antes da queda do muro, podem imaginar um refrigerante com gosto de pão preto? é isso mesmo, pão prêto com gás, e é muito bom!


Para comer, de entrada a tradicional 'borsh', sopa de beterraba com repolho, estava muito gostosa, acompanhada de pão preto delicioso.



Depois comemos um prato de arroz, que já não me lembro o nome, parece um risoto de arroz quebradinho com carne de carneiro e legumes, é um prato bem forte. Günther contou que era o que comia quando estudante para esquentar no inverno. Ufa! deu um suador e nem consegui comer todo o prato.



Bem, mas nós estávamos na Alemanha e não na Russia, então para beber, naturalmente, Bier!
São tantas as cervejas, tantos tipos, cada um servido num copo diferente, especial para cada uma, que é preciso provar muito para identificar. Em geral são todas fortes com alcool chegando a 5%, e não se toma cerveja gelada por lá, é na temperatura ambiente, é colocada no tempo, fora de casa para ficar boa, geralmente o tempo fora de casa é frio, então ela fica bem saborosa. Em junho já estava começando o verão, mesmo assim a temperatura variava de 6 graus chegando no máximo a 27, e eu gostei de todas as cervejas que provei, só que os alemães tomam as cervejas da sua região e são muito bairristas quanto à isso, tomei cervejas de Brandenburg, do lado leste.



Na foto acima meu copo de cerveja e o copo de suco de maça do Günther, ele não podia beber porque estava dirigindo. Ah, e quanto à esse 'suco de maçã com agua com gás'... hummmmm... é uma outra história que contarei mais pra frente, fiquei 'viciada' nisso!

5 comentários:

Merciasz disse...

belo começo!

Anônimo disse...

Muita cultura viajar!
Conhemos o povo, seus costumes, tradições, culinária, jeitos diferentes de viver.
Obrigada,Inês

Regina Fernandes disse...

Viajar é viver, aprender, sonhar!

Adorei o post!
Bjs

Anônimo disse...

Sim, provavelmente por isso e

Ana Maria ( Jeito de Casa ) disse...

OI JUJU

QUE VIAGEM INCRÍVEL!!!
já amei o restaurante, quero ver tudo!!!!
imagino tua alegria lá com a família, grande bjoooo