6.9.09

Jacareí, minha cidade natal

Revendo algumas fotos antigas da cidade onde nasci bateu uma leve nostalgia da vida simples de então...

Há alguns anos não vou à Jacareí, amigos me mandam fotos recentes, sei que é bem diferente do lugar que está guardado nas minhas lembranças. O rio continua lá, eu morava perto do rio e costumávamos ir com minha mãe na prainha para brincar com os girinos e com meu pai em tardes de pescarias. Na adolescência as margens do rio foram cenário para namoro. Rio Paraíba do Sul que corta a cidade.

Na Matriz fiz a primeira comunhão, ia à todas as festas com quermesse e banda no coreto, minha casa era bem atrás de igreja. Aos domingos frequentava a missa das 10 quando pequena com minha avó e minha tia, sentávamos no primeiro banco. Na adolescência a promessa de namoro depois da missa era o motivo.

No Grupão, antigo casarão, hoje museu, aprendi a ler e escrever com a cartilha Caminho Suave, sob orientação do saudoso professor Mário Moraes, com as professoras Alice, Regina, Lourdes e Odete. Morava a uma quadra da escola, era praticamente atravessar a rua.

Continuei os estudos no CENE Silva Prado, o prédio era bem novo, tinha laboratório, biblioteca, teatro, quadra de esportes, bons professores, dentre tantos, Simplicio de História, Rangel e Mena de Portugues, França de Inglês, Elda de Francês, Ilka e Mércia de Ciências, Alba de Geografia, minha tia Talma, Paulo Mazarovsky e Beraldo de Matemática, Bernadete de Música, Laís de Desenho, minha mãe de Artes. Tinha a dona Maria, a dona Zaíra, o Bandeira e a Telma que eram inspetores de aluno, o Bispo da cantina. Fiz aí também a Escola Normal, me formei em 1970. Passei 7 anos por essas salas, corredores e pátio, fiz muitos amigos que tenho saudade e também namorei bastante.

No Largo do Rosário ficava o Cine Rosário, que era o lugar que de alguma maneira se tinha contato com o mundo através dos filmes italianos, franceses, americanos, e antes das sessões passava reportagens no Canal 100. Na praça tinha o Ponto de Taxi Caçula, o coreto onde se apresentava a banda de música, a casa da dona Bernadete que aparecia na janela nas noites de sábado quando os namorados passeavam de mãos dadas e se revezavam nos bancos do jardim. Na esquina ficava o barzinho Xodó, colocavam mesinhas na calçada, isso já na década de 70, quando eu estava na faculdade e só frequentava a cidade em alguns fins de semana, era um dos pontos de encontro dos que tinham saido para estudar fóra e conversar sobre política e cultura, temas da juventude daqueles anos.

Em 1972 fui para a faculdade em São Paulo, Jacareí foi, a cada dia, ficando mais distante. O prédio onde cresci é atualmente um prédio comercial na Praça dos Três Poderes. Quando ainda não existiam os prédios do Fórum, Câmara e Prefeitura era um grande terreno onde brincávamos e periódicamente eram alí montados os circos e parques que passavam pela cidade.

Jacareí é uma cidade do Vale do Paraíba, dista menos de 100 km de São Paulo, fica ao lado de São José dos Campos, perto da praia e perto da montanha, é uma localização privilegiada. Agora vivo muito longe de lá, mais de de 2000 km de distância, qualquer dia vou rever a cidade e quem sabe encontre algumas das minhas boas lembranças.

5 comentários:

Inês disse...

Puxa, Ju, fui às lágrimas!
Você vai descrevendo, a gente passeia pela infãncia e juventude também. Você escreve com saudade e, porquê não seria assim. A vida a gente deve homenagear todos os dias. Gosto do jeito que você escreve e, procura dentre as fotos de sua vida,imagens atuais.
A gente percebe o carinho que você tem com as lembranças, com o Orlando. E deveria ser diferente? Valeu...

Inês disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Merciasz disse...

JU...uma nostalgia boa ! bj

mariaceliolivati disse...

Foi muito bom poder viajar no tempo através de seus textos e fotos.Sua linguagem doce e saudosa me fez relembrar de tudo, apesar de ter estudado, dois anos a sua frente, compartilhei de tudo. Relembrar o Grupao, CENE e os professores para mim foi o ponto culminante, em especial , sua mãe que me motivou a ser uma "moça prendada".

Anônimo disse...

Carissima JUJU adorei seu trabalho eu tambem sou de jacarei,a propósito eu escrevi um livro contando minha biografia de infãncia de nome:folhas ao vento formatado no computador.Eu falo muito da Rua do Carmo atual Dr.Pompilio Mercadante falo muito das pessoas que lá moravam nas décadas de 50 e 60.Caso tenha interesse em adquirir um exemplar favor contatar no meu E mail elizandresilva2011@htmail.com