5.10.11

Botucatú


Passei uns dias com minha mãe que esteve hospitalizada devido à uma infecção pulmonar. É claro que a minha máquina captou algumas coisas da cidade. Como é uma cidade pacata do interior de São Paulo, acho que as pessoas que me viam como turista fotografando devem ter me achado meio maluca.
Botucatú fica a 240 km de São Paulo, indo pela rodovia Castelo Branco, tem por volta de 130 mil habitantes. O nome vem de Ybytu katu, que em tupi significa "bons ares", fica localizada na serra, o clima é mais frio, passei uns dias de muito frio em plena primavera.


Minha mãe é a sexta dos 10 filhos da avó Adolphina e do avô Antonio, que se mudaram para Botucatú na época dessa foto, vindos de Assis para que os filhos mais velhos pudessem frequentar escola, minha tia Jesumina é a mais velha, são apenas duas mulheres, dessa foto só a tia Mina e a mamãe estão vivas, e além desses filhos mais 4 meninos nasceram em Botucatú.
Não conheço muito a cidade a não ser o centro onde fica a casa da minha tia. Minha mãe foi morar com a irmã quando as duas ficaram viúvas há mais de 26 anos. Fui para lá algumas vezes quando era criança e depois em algumas datas, como nos aniversários da minha mãe, nunca passei muito tempo na cidade, acho que essa foi a vez que mais fiquei lá. Fazia diariamente o percurso entre a casa e o hospital mudando o caminho para conhecer as ruas. É uma cidade sem muito atrativo para quem não é de lá, não tem shopping nem cinema, à noite as ruas são vazias, e descobri que os restaurantes, lanchonetes, padarias e cafés do centro não abrem no domingo!
Os moradores tem um lema, que Botucatú é a "cidade dos bons ares, das boas escolas e dos bons médicos", acho que por causa do Colégio Santa Marcelina que era internato e as famílias da região mandavam as filhas para as freiras educarem, depois a Faculdade de Medicina da Unesp que é a maior referência atual da cidade.
Minha mãe saiu da cidade depois de se formar professora e foi lecionar em Jacareí, no Vale do Paraíba, bem longe da casa da família, foi onde conheceu meu pai e onde eu e meu irmãos nascemos, por isso não tenho ligação com Botucatú, não conheço ninguém na cidade além da minha tia, que não estava esses dias lá porque tinha viajado para a casa de uma das filhas. Então dei algumas voltas pelo centro e fiz essas fotos.


A paisagem do interior paulista é muito bonita. Cheguei no aeroporto de Gaurulhos e peguei o ônibus na Barra Funda, são 3 horas de viagem.


A catedral em estilo gótico é a maior construção da cidade que é cheia de subidas e descidas, meu pai brincava que as moças de Botucatú tinham as pernas grossas de tanto subir as ladeiras, nas praças tem escadas porque o terreno é inclinado.


Achei as praças mal cuidadas, tudo seco, esta praça da foto é a que fica em frente à catedral, lembro-me desse lugar de quando eu era criança, tinha um laguinho e agora está assim.


De mau gosto é esse banheiro público que foi construído bem no meio da praça em frente à igreja, e ainda todo pixado, dá má impressão.


A igreja também não é bem conservada por fora, desgastada pelo tempo, poderia tomar um banho.


Por dentro é simples, a mesma planta da igreja de São Pedro do Vaticano, em cruz com a cúpula, em escala bem reduzida, naturalmente.


O que é bonito nela é a cerâmica do piso e os vitrais da porta de entrada.


Sobre a cúpula tem uma imagem de Cristo com os braços abertos, como não tem prédios por perto é possível avistar de longe.


Esta foto fiz as seis horas da tarde quando os sinos tocavam e o sol do poente banhava a parte de trás da igreja.


Este é o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes, onde minha mãe e minha tia frequentavam as missas diariamente. Tenho a impressão que as pessoas lá são mais religiosas que outros lugares, não sei se é porque tem colégio de freiras ou porque a cidade é sede de bispado, ou é impressão minha por causa da minha mãe e minha tia que sempre tiveram alguma atividade ligada à igreja como voluntárias.


Este é o Colégio Santa Marcelina, famoso por receber meninas das famílias abastadas, filhas de fazendeiros que vinham de longe para morar com as freiras. Atualmente é um colégio misto.


Outro colégio religioso é o La Salle, fica praticamente vizinho do Santa Marcelina, na rua atrás da catedral.


A antiga escola que formava professores, onde minha mãe estudou e também todos os seus irmãos.


Grupo Escolar Cardoso de Almeida, onde minha tia lecionou, ela alfabetizou muita gente, era professora do primeiro ano primário.


Nesta escola lecionou meu tio Gastão, marido da tia Mina, foi diretor por muitos anos. Como podem notar, no começo do século passado, Botucatú foi um centro de formação para a região.


Bem, chega de escola. Um prédio que achei muito bonito, mas que parece abandonado é esse que lembra a França, é o antigo Forum, não sei se está em funcionamento, mas nos dias que passei por lá não vi ninguém.


Ficava no meu caminho para o hospital, fiz várias fotos dele de todos os ângulos, é bonito, pensei que ficaria bom um centro cultural ai com mostras, eventos, leva jeito pra isso por causa de sua localização.


Notei que tem vários fuscas na cidade, bem conservados, achei até curioso, e simpático, geralmente os donos são velhinhos.


Outra construção interessante é esse prédio que fica ao lado da catedral, pena que detonaram com essa cor, é um estilo eclético, ou seja, uma mistureba, mas se tivesse uma boa pintura ficaria bonito.


Este é o Teatro Municipal, estilo decô, ele funciona, mas não tinha nada anunciado, sei que tem apresentações de música, orquestra, teatro, porque minha mãe e minha tia costumavam ir.


Prédio da sde do jornal da cidade, outra vez foram infelizes na escolha das cores da pintura da fachada.


Misericórdia Botucatuense, hospital onde minha mãe esteve internada por uma semana dessa vez, ela já passou por ai várias vezes.


Fiz muitas fotos da cidade, mais de 300, mas neste post já deu para ter uma ideia de como é a cidade. O povo é orgulhoso e saudosista de áureos tempos, a minha impressão é de que, pelo menos nessa parte central, a cidade é aquela típica de interior, todos se conhecem, se cumprimentam na rua e reconhecem um forasteiro. Fato curioso foi quando fui almoçar num restaurante as 13:30, não tinha mais ninguém, sentei numa mesa sozinha e percebi olhares curiosos tanto dos garçons como das pessoas que passavam na rua e me viam lá dentro, mas eu comi uma comida árabe deliciosa no 'A Libanesa', foi o melhor restaurante que encontrei.


Se um dia for à Botucatú pode comer o quibe crú com tabule e coalhada seca, muito bom, o pão árabe não é lá essas coisas.

*

7 comentários:

Inês disse...

Ju
Espero que a sua mãe esteja bem.
A cidade, é como você falou, bem típica do interior, sempre com uma igreja central na praça. Mas achei-a a cara da Igreja da Lapa. Fui batizada, fiz primeira comunhão, frequentei muitos anos o catecismo. E ela fica ao lado do antigo enderêço da boutique de minha mãe. Por isso, vejo por dentro e por fora com os vitrais e tudo. Nos pilares tem até os detalhes dourados.
O Colégio Santa Marcelina daqui fica na Rua Cardoso de Almeida. Você até citou o nome.
Obrigada pela "viagem" e um grande beijo.
Saudades suas....
Inês

Grasiela - Adoro Lilás disse...

oi Jussara vi teu post la no grupo das blogueiras onde tb faço parte :)


Que lindas imagenssss, conheço SP e algumas cidades do estado de SP...mas Botucatu não....

Tenho uma conhecida aqui de Floripa q casou com um cara de Botucatu e etao morando la, e uma outra conhecida q é casada com o marido q é de Botucatu mas moram aqui.....


o kibe cru ta com um cara boa rsss


beijo

Grasi

adoroolilas.blogspot.com

Lu Saharov disse...

Vivendo e descobrindo...
Sempre pensei que sua família fosse do Vale do Paraíba, vejam só!!!!
Nossas cidades do interior de São Paulo, tem um charme todo seu...pena o descaso dos homens públicos que não se preocupam nem com a conservação, nem com a beleza, nem com a estética!
Infelizmente! E à gente, só resta lastimar! Beijão, amiga!

Walkiria disse...

Ju!

Você olha a vida ao seu redor com olhos de poeta. Transportei-me para Botucatu com você e gostei da quietude mansa da cidadezinha. Espero que sua mãe possa encontrar a calma e a serenidade que perdeu.
Seu blog, como sempre é muito lindo.

Gratissima disse...

Jujuuuu... esqueci de comentar lá no "o Móvel" que no próximo domingo iremos (eu e mais umas 6 amigas) para a Le Biscuit de Campinas... hehehehe... não quero nem ver a gastança... kkkkk...
Culpa de quem? Suuuuua né Jujú?
rsssssss
beijinhos e mais uma vez, obrigada pela dica... depois conto como foi...
Rô Gratão

Soraya disse...

Oi Jussara!
Que post mais gostoso de ler , me senti em Botucatu.
Que cidade gostosa e que saudades da infância né?
Desejo boas melhoras para sua mãe.
Bjos

Alicia disse...

QUE LUGARES TAN PRECIOSOS ME ENCANTAN ESAS IGLESIAS.
SALUDITOS