9.12.11

[09] Calendário de Natal - o panettone

Tem coisas que se não tiver no Natal, não é Natal! Panettone é uma delas. Já em novembro começam aparecer os panettones no mercado, é sinal de que as festas se aproximam, e a gente já vai provando o gostinho do fim do ano.
Agora tem panettone com recheios os mais variados, chocolate, truffas, leite condensado... mas para mim  tem que ser o panettone tradicional, com frutas cristalizadas e ponto.


Esse é de uma marca argentina, baratinho, que tem no supermercado aqui perto de casa. É um panettone simples, mas bem gostosinho, comi acompanhado de vinho branco gelado, combina super bem nesse calor de Salvador.


Panettone combina com tudo, com café é bom, com leite também, até com coca-cola vai bem, melhor mesmo com champagne! E se for numa noite de Natal fria e chuvosa quando não tem mais nada pra comer senão panettone e champagne, ah... é dos deuses!!!
Vou contar rapidamente uma história de Natal. Cheguei em Roma na tarde do dia 24 de dezembro, junto com duas amigas, desembarcamos do trem na estação Termini, vindas de Florença. Estávamos super animadas para uma bela noite de Natal! Puxando as malas passamos em frente à uma loja de panettones e decidimos comprar um bem grande para comermos à noite, também compramos um espumante (na Itália não tem champagne, como também não tem aqui, a não ser que a gente compre um champagne francês, isto é, da região de Champagne... bem, essa é uma outra história!). Com o panettone e a garrafa de espumante chegamos ao hotel perto da Piazza di Spagna, nos arrumamos e saimos a fim de encontrar um belo restaurante para nossa ceia. Doce ilusão! Em Roma, na noite de Natal,os restaurantes só atendem prenottacione, isso quer dizer, reserva. Assim passamos por vários restaurantes cheios de gente em alegres mesas, nada, nenhum lugar que tivesse um lugarzinho para a gente... E assim continuamos a caminhar na noite gelada e com chuva fina, decidimos ir em direção ao Vaticano, afinal tem a Missa do Galo e provavelmente naquela região da Piazza San Pietro talvez encontrassemos algo para comer.
Em frente à Basílica só o que encontramos foram uns traillers de pizza al pezzo, pedaços de pizza, não teve outro jeito, com a fome que estávamos a pizza chegou para esquentar o estômago. Depois da nossa "ceia" ao ar livre com muito frio, entramos na igreja, vimos o Papa João Paulo II, acompanhamos a missa, foi emocionante, e a fome continuava. O que nos salvou foi o panettone nos aguardando no hotel, foi o melhor e mais delicioso panettone que comi em toda minha vida, lembro do gostinho dele até hoje! e com aquele vinho de borbulhas, foi inesquecível!


Por mais simples que seja o panettone ele tem cara de festa, não custa dar uma enfeitadinha nele, um prato bonito, um laço de fita, ele pode ser baratinho como esse (não custou nem 4 reais), mas ele merece uma produção, afinal a origem do panettone - acho que conhecem a história do pão do Tony, o padeiro que inventou esse pão doce delicioso - foi para conquistar a amada, então comer panettone tem que ser solene! (rsrsrs... tá certo, vocês me acham doida, mas eu enfeito meu panettone!)

*


Um comentário:

Santinha disse...

Aqui em casa o panettone faz sucesso mesmo de manha com o café! E dilicia viu!